Como começar a jogar RPG de Mesa

Pode parecer um jogo de difícil entrada sim, mas na realidade não é, ainda mais em tempos atuais onde temos mega tutoriais no Youtube.

Sempre joguei RPG de Mesa, comecei nos anos 90, meu primeiro contato com o jogo na verdade foi com um RPG tipo board game, o famoso Hero Quest.

Hero Quest, lançado pela Estrela

Ganhei de natal e foi um vício tremendo, jogava com meu irmão e um primo e além de termos zerados as aventuras da caixa e expansões, nós também começamos a criar aventuras.

Depois disso passamos para o Dragon Quest, aí sim, já um RPG de Mesa realmente, um Dungeons and Dragons. Foi uma evolução muito legal, do Hero Quest para o Dragon Quest.

A ficha de personagem já era mais robusta com os atributos que conhecemos hoje em dia, força, destreza, constituição, inteligência, sabedoria e carisma.

Dragon Quest — Dungeons and Dragons

Após essa época, aí sim, entramos no RPG de Mesa de fato, com a caixa preta da Grow, também Dungeons and Dragons.

Essa caixa preta se tratava de um breve resumo, um jogo de entrada do famoso Rules Cyclopedia, um livro parrudo e compilado das caixas BECMI de D&D.

Caixa preta da Grow (versão internacional)

Beleza, depois disso passamos para o AD&D, que podia ser comprado em bancas de jornal naquela época.

Foi trazido ao Brasil pela Editora Abril Joven, e teve um grande boom de vendas, porém não era um jogo tão fácil de se aprender e se viu necessário lançar um kit de introdução.

E é aí que entra o maravilhoso First Quest.

First Quest — Lançado pela Abril Jovem

O primeiro RPG de Mesa que tinha um incremento de mídia, ele vinha com um CD com a narração e efeitos sonoros das aventuras, isso era de estourar a mente.

Jogamos muito também, foi uma época maravilhosa, com um aparelho de CD do lado, a imersão foi imensa. Ainda hoje uso elementos multimídia nas minhas mesas.

Então aí acabou o que chamamos hoje de RPG Old School e entramos no D&D 3.5, para época foi muito bom, uma mudança que empolgava sim, tudo muito mais mecânico, muitas regas. Foi também um bom tempo.

E aí, veio o hiato, parei de jogar, por alguns anos inclusive. Sempre gostei e lembrava do RPG, mas a perdi totalmente a Quarta Edição do D&D.

Não vou entrar aqui no mérito se essa edição é boa ou ruim, apenas que a perdi, e hoje sei muito que não gostaria de ter perdido essa parte da história do RPG.

E aí tive que recomeçar, como muitos agora, então como foi esse recomeço?

Escrevo esse artigo para incentivar as pessoas que nunca tiveram contato com o jogo a se sentirem seguras para entrar no hobby.

Recomecei no RPG de Mesa com um sistema chamado O Um Anel. Já tinha lido o Senhor dos Anéis, e também assistido aos filmes do Peter Jackson, então foi um caminho mais fácil porque já gostava da ambientação.

Jogamos anos o UM Anel, evoluímos muito nossos personagens, e foi uma experiência maravilhosa.

Depois disso sim, voltamos para o Dungeons and Dragons com a quinta edição. Fui pegando as regras de pouquinho, não li o livro de cabo a rabo, apenas as partes que me interessavam para construir o personagem que queria.

E estou de volta ao jogo novamente, e que bom, porque o RPG de Mesa é um jogo muito fantástico para ficar alheio ao conhecimento das pessoas.

You May Also Like

About the Author: roleplayer

Leave a Reply

Your email address will not be published.